Segundo Atlas 2019 da Imigração, lançado pela Unicamp, RMC recebeu 31.747 registros ativos entre 2009 e 2019, sendo 33% do país Os haitianos são os principais imigrantes a se mudarem para a Região Metropolitana de Campinas.

De acordo com o Atlas 2019 da Imigração, lançado pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) nesta segunda-feira (29), eles respondem por 33% dos estrangeiros que procuraram e se estabeleceram na RMC entre os anos de 2009 e 2019. Os dados foram feitos com base nas autorizações de residência emitidas pelo governo, quer sejam vistos temporários, permanentes ou humanitários.

Não foram computados, no entanto, quem solicitou refúgio no país, uma vez que estes ainda aguardam decisão do União sobre a concessão. De acordo com o Atlas, a Venezuela é o segundo país de onde as pessoas mais migram para a região de Campinas.

Logo depois estão Colômbia e China. Conforme o estudo, foram 31.747 novos registros ativos no período, a maioria deles na metrópole, que concentra 62,29% destes imigrantes.

Americana (7,22%) e Indaiatuba (5,8%) aparecem logo depois no ranking de destinos mais procurados. De acordo com a Unicamp, a elaboração do Atlas busca promover educação, pesquisa e extensão acadêmica voltada à população em condição de refúgio. Veja outras notícias da região no G1 Campinas