Setores respondem por 83% dos postos com carteira assinado fechados no mês.

Durante a pandemia, cidade perdeu 16,6 mil vagas.

Comércio em Campinas permaneceu fechado durante o mês de maio, em virtude da quarentena Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo As demissões nas áreas de serviços e comércio representam 83% das vagas de trabalho com carteira assinada fechadas em maio, em Campinas (SP).

De acordo com dados do Caged divulgado nesta segunda-feira (29), pelo Ministério da Economia, juntos os setores perderam 2.818 postos - o saldo do mês foi negativo em 3.393. Em maio, o setor com mais demissões na cidade foi serviços, com 1.759 vagas fechadas, sendo que as áreas de alojamento e alimentação, bastante afetadas pela epidemia e as restrições da quarentena, representam 44% do total (781 vagas). O comércio, que passou todo o mês de maio fechado em Campinas, por conta da quarentena, reabriu por duas semanas em junho e voltou a fechar por conta do avanço da doença, foi responsável pela pelo fechamento de 1.059 postos.

Veja outros números: Saldo de empregos em maio - Campinas (SP) Estrago na pandemia As perdas de vagas formais de trabalho durante a pandemia na cidade agora chegam a 16.685.

Entre março e maio, foram registradas 24.622 contratações, e 41.307 demissões. O saldo é menor na comparação desde janeiro, que ainda apresentava números positivos.

Com isso, o total de contratações no período sobe pera 53.794, enquanto houve 67.734 desligamentos, com saldo de 13.940 postos. Formas erradas e corretas de usar máscara de proteção contra o coronavírus Arte/G1 Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas