Volume de precipitações registrado durante o período foi 81,5% menor do que a média histórica.

Campinas (SP) registra, em julho, menor volume de chuva em três anos Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas O mês de julho registrou 7,4 milímetros (mm) de chuvas em Campinas (SP), volume 81,5% menor do que o esperado segundo a média histórica, que é de 40,4 mm.

Segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Unicamp, o período teve o menor volume desde 2017.

A meteorologista Ana Ávila explica que, há três anos, o volume foi de 0 mm.

De acordo com os dados do Cepagri, julho de 2020 se estabelece como o décimo menor em precipitação acumulada para o mês na série histórica.

Confira abaixo a evolução dos índices de chuva. Apesar de o volume estar abaixo do esperado para o mês, a meteorologista afirma que julho costuma registrar valores reduzidos de chuva.

"É um período de pouca chuva normalmente.

O inverno é uma estação seca na nossa região, e está mais seco do que a média histórica", relata. "Abaixo da média" Com um outono de poucas chuvas, 2020 registrou o abril mais seco em 100 anos.

Para Ana Ávila, este ano está atípico em relação aos anteriores.

"2020 está chovendo pouco.

A exceção de fevereiro, os demais meses foram abaixo da média". De acordo com a meteorologista, a ausência de chuvas pode trazer alguns problemas para o meio-ambiente. "Preocupante para os recursos hídricos e aumenta o risco de focos de queimada", finaliza. Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19 Infográfico mostra quais são os erros e acertos ao usar a máscara G1 Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas