Aves construíram o ninho na janela de um apartamento em São Luís (MA) e estão sendo monitoradas de perto.

Depois de muitas pesquisas na internet a moradora descobriu o dono do ninho Mariana Carvalho A descoberta de um ninho gigante na janela do apartamento em São Luís (MA) agitou a vida da família da Mariana Carvalho nesta quarentena.

A administradora de empresas ficou mais de três meses fora de casa e quando retornou encontrou a surpresa. Depois de muitas pesquisas para desvendar de quem era aquela construção misteriosa não restou dúvidas, os inquilinos selvagens tratavam-se de um casal de carcarás.

A notícia repercutiu entre os amigos e familiares e foi destaque no Terra da Gente.

Conviver tão próximo à uma ave e poder acompanhar o desenvolvimento reprodutivo da espécie é sem dúvida um privilégio.

Para marcar esse momento único e especial nasce então o ‘Diário de um ninho’. No dia 02/07 Mariana registrou o ninho pela primeira vez Mariana Carvalho A DESCOBERTA Ao voltar para casa após tanto tempo Mariana se deparou com um emaranhado de galhos na janela do apartamento.

Em um primeiro momento ela acreditava que os gravetos foram parar lá, mas ao se aproximar e ver que os galhos grandes estavam todos interligados percebeu que estava diante de um ninho, e não um ninho qualquer, mas robusto e grande, o que já lhe atiçou a curiosidade para saber de qual espécie pertencia.

A volta ao lar ocorreu oficialmente em julho.

O primeiro registro do ninho foi no dia 7 desse mês.

Em um primeiro momento a família não via as aves, mas escutava barulhos delas na janela.

“Eles fazem um barulho esquisito parece que conversam entre eles, pesquisei na internet sobre o som e já identifiquei que eram carcarás”, afirma.

Fascinada com a presença dos falcões, Mariana começou a observar todos os detalhes dos visitantes.

“Eles chegavam às 5h da manhã e iam embora pelas 9h – 10h.

Isso todos os dias nas primeiras semanas de julho”. Casal de carcarás mudou até a rotina da família dentro do apartamento Mariana Carvalho ADAPTAÇÕES NA CASA Quando as aves construíram o ninho na janela o apartamento estava vazio, e isso induz a família a acreditar que foi o principal motivo para essas aves terem escolhido aquele local para se reproduzir. Com o retorno ao apartamento, Mariana e a família precisaram fazer adaptações na rotina para não interferir na vida reprodutiva dos falcões.

Preocupada dos carcarás abandonarem o ninho, a administradora de empresas logo providenciou uma película para aplicar no vidro da janela.

“O objetivo foi reduzir a visibilidade deles para o que acontece dentro de casa, para eles não se espantarem com o movimento”.

Uma nova regra dos moradores é que ninguém entre no cômodo onde está localizada a janela com o ninho.

É como se os carcarás tivessem ganhado não só a janela, mas o quarto todo.

“Para filmar eu dou zoom com o celular e fico escondida, pouco a pouco eles vão se acostumando com os barulhos da casa, eu tenho um bebê em casa, e quando eles a escutam eles ficam quietinhos observando”, acrescenta. No dia 31/07 pela primeira vez ave dormiu no ninho Mariana Carvalho DEDICAÇÃO AO NINHO Em um mês já foi possível notar a diferença do comportamento das aves.

No início elas se dedicavam ao cuidado da construção apenas ao período matinal para ajustar detalhes, agora o comportamento já é outro. “Eles já estão passando muito mais tempo.

Chegam umas 4h30 e vão embora as 9h30 da manhã, só que ao invés de voltarem apenas no dia seguinte eles voltam diversas vezes no decorrer do dia até o final da tarde.

Já reparei que a tarde eles voltam mais para arrumar uma coisa aqui e outra ali e olhar em volta”, afirma.

Moradores registram pela janela a rotina dos carcarás Na noite do dia 31 de julho, pela primeira vez um dos falcões dormiu no ninho.

De acordo com as observações da moradora a fêmea ainda não botou os ovos. Na literatura não existe a descrição de quanto tempo o carcará se dedica a construção do ninho.

Mas sabe-se que após a postura dos ovos, que geralmente são de dois a três, a fêmea o macho se dedicam a incubação por quase 30 dias.

Os filhotes permanecem no ninho até os três primeiros meses de vida.

A expectativa para a postura dos ovos é grande e a gente fica na torcida para que o próximo relato do diário virtual seja sobre o sucesso desta reprodução.